setembro 10, 2005

alô opportunity

“o colunista Diogo Mainardi conta a segunda parte de sua arqueologia do mensalão em “O Resumo da Ópera 2”. Segundo a apuração de Diogo, o governo Lula se organizou tendo como referência os interesses de Daniel Dantas, fonte do mensalão, o que ele assegurou na coluna da semana passada. Sobre como os interesses do empresário dividiram o governo, escreve Diogo: “Formaram-se duas facções. Numa delas, ficaram Dantas, Dirceu, Delúbio, Delfim, João Paulo, Ciro, Mentor, Kakay e todos os mensaleiros do PP, do PL, do PTB. Na outra facção, ficaram Gushiken, Telemar, Previ, Fundef, Banco do Brasil, Trevisan e um punhado de parlamentares arregimentados aqui e ali. (...) A trégua só foi rompida depois do caso Kroll, em meados de 2004. A Anatel, comandada por Gushiken, lançou os fundos de pensão à conquista da Brasil Telecom. Dirceu não deu proteção a Dantas, fugindo do campo de batalha. Quando Dantas parou de pagar o mensalão, o governo acabou (...)[Lula] Tendo de optar, optou pelos amigos da Telemar, que garantiram o futuro de dois de seus filhos, comprando a empresa do primeiro e financiando a estada em Paris da segunda. Essa é a história do governo Lula. Fim.”primeira leitura

Nenhum comentário: