setembro 10, 2005

A guerra da imprensa

Até o final da tarde de ontem, OAB, ABI e Fenaj não tinham se manifestado contra o incêndio criminoso que destruiu 80% do Diário de Marília e duas rádios do grupo paulista. Está preso um suspeito do atentado, que pode ter sido político. “Preocupa”, diz a ANJ*, por cercear a liberdade de imprensa. http://www.claudiohumberto.com.br/
*ANJ - Associação Nacional de Jornais

Nenhum comentário: