novembro 01, 2006

vamos trabalhar!

Trechos selecionados do pronunciamento feito ontem à noite pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em cadeira de rádio e televisão

No último domingo, nós brasileiros demos um belíssimo exemplo de democracia.

... gostaria de agradecer aos mais de 120 milhões de eleitores que foram às urnas e celebraram o rito democrático mais sagrado - a opção livre e soberana do voto.

Sei que agora, encerrada a disputa eleitoral, o que interessa a todos é a vitória do Brasil. Pois os verdadeiros adversários são a injustiça social, a desigualdade e as várias formas de atraso que atravancam a vida nacional.

... Volto a afirmar que o nome do meu segundo mandato será desenvolvimento - desenvolvimento com distribuição de renda e educação de qualidade. E é em torno desta proposta, capaz de unir todos os brasileiros e brasileiras, que venho pedir o esforço e o entendimento nacionais.

... estendo mais uma vez as mãos para o diálogo e a concórdia. Conclamo toda a sociedade, a começar pelas lideranças políticas e movimentos sociais, a unirmos o Brasil em torno de uma agenda comum de temas de interesse geral.

... é preciso agilizar a votação de matérias importantes que já estão no Congresso

... É necessário, igualmente, criar um clima de profunda responsabilidade republicana para a discussão e votação de reformas importantes, a começar pela Reforma Política.

É preciso, também, a união das forças regionais em favor de projetos de desenvolvimento já em curso e que trarão progresso para todos os estados do país

... Tivemos uma das eleições mais transparentes e democráticas da nossa história.

... Isso ocorreu por causa do amadurecimento de nossas instituições, da postura dos candidatos e, muito especialmente, da ação e vigilância do nosso povo.

... pela primeira vez, o Brasil enfrentou uma disputa presidencial sem nenhum tipo de abalo econômico, seja antes, durante ou depois das eleições. A estabilidade é uma das conquistas que precisamos manter e ampliar.

... a exposição franca dos problemas mostrou, para toda a sociedade, que ainda existem brasis profundamente desiguais. E o quanto é urgente e necessário que as desigualdades sociais e regionais diminuam.

O Brasil tem ainda uma enorme dívida social a resgatar, um grande atraso político a vencer e questões éticas a discutir e superar.

... Continuarei empenhado em que os órgãos de investigação e da Justiça apurem todas as denúncias de corrupção e que os verdadeiros culpados sejam exemplarmente punidos.

... quero continuar fazendo um governo que conjugue uma política econômica correta e uma forte sensibilidade social, com uma gestão administrativa eficiente e um comando político acertado. Um governo que continue a diminuir as desigualdades entre pessoas e regiões. Um governo que aprofunde, ainda mais, a inserção soberana do Brasil no mundo.

... vamos fazer do Brasil a nação livre e justa que nós todos sonhamos.

extraído de tribunadaimprensa (01/10)

Imagem: juan genoves ‘El abrazo 1976’

Brasil: país justo e independente Onde o presidente é povo E o povo é presidente!

Um comentário:

marconi leal disse...

É isso aí, Daisy. É Lula de novo, com a força do povo e o desespero do tucanato.