fevereiro 06, 2007

Ordem e Regresso

A tentativa de anistiar políticos envolvidos no escândalo do mensalão 'seria uma manobra casuística' que, se aprovada, representaria 'uma nódoa para a democracia e um retrocesso inaceitável para a cidadania', afirmou ontem em nota o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Cezar Britto. Em reação às notícias de que o Campo Majoritário do PT começaria a coletar assinaturas para um projeto pela anistia do ex-ministro José Dirceu, o novo presidente da OAB ressaltou que essa mesma cidadania 'condenou expressamente o esquema de cooptação conhecido como mensalão'. Na opinião de Britto, devolver os direitos políticos a Dirceu, assim como a parlamentares de outros partidos punidos pelo Congresso, é absurdo e não teria apoio político da sociedade brasileira. “O Congresso tem que refletir a vontade do povo, seu soberano', disse. 'Não se tem dúvida do descompasso da legislatura passada, especialmente na questão dos mensaleiros.” Reinaldo Azevedo [citando o Estadão desta terça]

***

Apesar de já ter recebido diversas manifestações de apoio a sua anistia, o ex-deputado José Dirceu tem dito a aliados que ainda aposta em um outro caminho para tentar reaver os direitos políticos perdidos com a eclosão do escândalo do mensalão. Durante a reunião realizada no último fim de semana pelo Campo Majoritário do PT, Dirceu ressaltou que espera conseguir uma absolvição no Supremo Tribunal Federal (STF), onde corre o inquérito sobre seu envolvimento e o de outros políticos no esquema de financiamento irregular de campanha denunciado no meio de 2005.

...

"A cassação dele teve mesmo um caráter muito político. Mas ainda não discutimos essa questão dentro da UNE", disse o presidente da entidade, Gustavo Petta. Tribuna da imprensa online

Creio que a Anistia não é um procedimento adequado ao caso, pois configura confirmação de culpa. Se houve injustiça cabe recurso ao Tribunal. Além de Ético é mais elegante.

Nenhum comentário: