novembro 02, 2007

tributos

Brasileiro trabalha sete dias por ano para pagar CPMF

Estudo feito pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributária) revela que o brasileiro trabalha sete dias por ano somente para pagar CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira). Ou seja, o valor pago de contribuição durante todo o ano é equivalente a sete dias de trabalho, em média. Em 1997, eram três dias de trabalho por ano, segundo o IBPT. De acordo com o instituto, o valor total pago em CPMF por ano não leva em conta apenas a movimentação financeira, mas também a contribuição que está embutida no preço de produtos e serviços. Ou seja, o consumidor paga CPMF indiretamente em tudo o que consome. (Portal Uai)
e mais: Impostos e contribuições consomem por ano 146 dias de trabalho do brasileiro. Em 2007, o gasto com tributos será de 40% da renda Os brasileiros trabalham quatro meses e 26 dias só para pagar tributos, incluindo impostos, taxas e contribuições cobrados nas esferas federal, estadual e municipal, segundo levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). Assim, 146 dias de trabalho dos cidadãos são destinados a pagamento de tributos. De acordo com o instituto, o contribuinte brasileiro comprometeu 36,98% de sua renda com impostos em 2003 — o cálculo leva em conta tributos sobre rendimentos, consumo e patrimônio. Desde então, o percentual gasto em impostos só fez aumentar: foi de 37,81% em 2004, de 38,35% em 2005, de 39,72% em 2006 e será de 40,01% neste ano. Com isso, o Brasil se aproxima da carga tributária cobrada por países de primeiro mundo, como Suécia (onde o trabalhador precisa trabalhar 185 dias para pagar imposto) e França (149 dias), conhecidos por oferecer serviços públicos de qualidade a seus cidadãos. Em termos de dias trabalhados para pagar imposto, o Brasil está bem à frente dos Estados Unidos (102 dias), Argentina (97 dias), Chile (92 dias) e México (91 dias). O instituto também mostrou que o grande crescimento da carga tributária ocorreu nos últimos 10 anos. Em 1997, o brasileiro precisava trabalhar 100 dias do ano para pagar impostos, valor que subiu 46% desde então. Segundo Gilberto Luiz do Amaral, presidente do IBPT, a classe média brasileira teve acréscimo de tributação. A classe alta permaneceu no mesmo patamar, enquanto que houve leve recuo sobre as populações mais pobres. É notório que o principal entrave do crescimento econômico brasileiro é a elevadíssima carga tributária, disse. O levantamento também aponta que o brasileiro, na mesma comparação, trabalha o dobro do que na década de 70 para pagar os impostos. Naquela década a média ficou em 76 dias. Já na década de 80 a média passou para 77 dias e, na de 90, para 102 dias. (Correio Braziliense)

Nenhum comentário: