janeiro 27, 2010

eu pergunto ele responde

CAIXA PRETA: eu pergunto:



Lula criticou as invasões de franceses e norte-americanos no Haiti desde a independência em 1804. Ele chegou a dizer que o "mundo desenvolvido" era responsável pela miséria do país.

Lula ainda criticou os países desenvolvidos que não repassaram os "bilhões de dólares" prometidos ao Haiti antes do terremoto. "O dado concreto é que esse terremoto mexe com a vergonha dos seres humanos que governam o mundo", disse. Ele ainda aproveitou para elogiar a atuação dos militares na força de paz da ONU que está no Haiti.

{O presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou que visitará o Haiti no próximo dia 25. Em discurso no Fórum Social Mundial, na capital gaúcha, ele pediu às organizações de esquerda que ajudem na reconstrução do país atingido por um terremoto no dia 12.] Portal UAI




janeiro 22, 2010

to be and not to be



Entre os tantos destroços
De uma nação destruída
Os soldados exigem ordem
E os sobreviventes comida!


janeiro 21, 2010

CORDEL PARA D. DILMA


Dona Dilma é candidata
A presidente do Brasil
Por Lula foi indicada
Por seu brilhante perfil

Tem a fama de ‘durona’
Parece disciplinada
Pega de Lula a carona
Na campanha deflagrada


Não a vejo empenhada
Nem me parece aguerrida
Tem cara desanimada
E muitas vezes contida.

Se quiser ser presidente
Vai precisar batalhar
Porque o Serra está na frente
Na opinião popular.
Carisma não se transfere
Nem a popularidade
Dona Dilma que se esmere
Em melhor publicidade.

Mesmo o povo satisfeito
Com o que foi conquistado
Nem sempre vota no pleito
Pelo nome indicado.
Deixo aqui a sugestão:
O que Dona Dilma precisa
É prestar muita atenção
No que diz Dona Mariza.

Por minha sinceridade
Dona Dilma me perdoa
Mas depois de certa idade
Não há verdade que doa.

janeiro 19, 2010

uma pequena resenha II


excelente leitura para um início de ano!


foi comprado num sebo!


vale a pena ser lido!


tradução magnífica de Sergio Flaksman!

(apenas uns errinhos de impressão)




PS. venceu o National Book Awards 2001

uma pequena resenha


livro chato, chato, chato!
salva-se a primeira parte: 'comer'!
 4 milhões de leitores!

e soube que será filmado tendo Julia Roberts!

felizmente já li coisa melhor!
ainda bem que não o comprei mas me foi emprestado.

Caso fosse meu, eu o colocaria na estante dos lixos.
ECA!


janeiro 18, 2010

convite à Utopia


“senhores donos do mundo: vamos transformar o Haiti, que tem sido território de desgraças, em laboratório da vida. E, ampliando algo que disse antes, reafirmo: se não conseguirmos salvar o Haiti, não conseguiremos salvar a África. Se não conseguirmos salvar o Haiti e/ou a África, não conseguiremos salvar o mundo. ... ou salvamos o Haiti ou naufragamos todos”

Affonso Romano de Sant’Anna
In Carta aos donos do mundo. Jornal Estado de Minas, Domingo, 17/01/2010 – Caderno Cultura p. 8


janeiro 17, 2010

recordando

CAIXA PRETA: AI DE TI HAITI


há quatro anos eu postei no meu blog.

 o que mudou?

A catástrofe!

um país de fantasia

Programas federais encobrem a realidade e pintam um país de fantasia




Medidas elaboradas pelo atual governo federal e pelo antecessor apresentam um Brasil sem analfabetos, escolas modernas e o dobro de turistas estrangeiros, muito distante da realidade

A recente polêmica que envolveu o Plano Nacional de Direitos Humanos traz à tona uma discussão: as propostas dos planos nacionais são mesmo realistas?


A julgar por alguns programas elaborados nos governos Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva, a resposta é: nem sempre.


Se as metas e os objetivos de alguns planos nacionais tivessem saído do papel, o Brasil hoje não teria analfabetos, haveria quase o dobro de turistas estrangeiros passeando por aqui e todas as nossas escolas seriam modernas.




 © Lucas Figueiredo - Estado de Minas (17/01/2010)
 


janeiro 15, 2010

um conto *

UMA NOITE NO HAITI



O general jogou o quepe sobre a cama.


O cão corria pelo jardim.


Pela janela avistava-se o mar.


Fazia muito calor naquele quarto.


Na manhã seguinte haveria uma cerimônia para troca de comando.


A camareira do hotel trouxe toalhas limpas.


O general debruçou na janela e aspirou o ar da brisa marinha.


Já não sentia saudades nem deixaria saudades


Anoitecia


Podia-se ouvir ao longe o som de tambores


Negros estariam dançando.

Em algum lugar uma feiticeira estaria preparando seus feitiços


O general serviu-se de uma dose de uísque. Sem gelo.


A bebida aqueceu sua alma gelada.


Descalçou as botas e olhou seus pés brancos


E lembrou-se de tantas marchas feitas, mas os pés estavam descansados.


A alma estava cansada e os olhos também.


Não desceria para o jantar.


Não jogaria cartas.


Caminhou até o banheiro e olhou-se no espelho


Despediu-se da imagem de um general em final de carreira


II


No saguão do hotel as pessoas se entreolhavam.


Oficiais fardados acompanharam o translado do corpo


A troca de comando foi cancelada.


Outra cerimônia ocuparia aquela manhã.






* Escrevi este conto em 2008 ou 2009, não me lembro. Por coincidência ou não, não sei, depois de tê-lo escrito, caiu-me nas mãos este livro e, hoje, solidária a todos os envolvidos na catástrofe, reproduzo aqui o meu curto conto.

janeiro 14, 2010

eu pergunto:


Por quê



é sempre necessário ocorrer uma catástrofe para que a ajuda humanitária aconteça?


por quê sempre deixam para depois?

janeiro 09, 2010

hermanos

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, demitiu por decreto o presidente do Banco Central, Martín Redrado
X
A juíza federal na Argentina María José Sarmiento decidiu restituir o economista Martín Redrado no cargo de presidente do Banco Central do país, que foi demitido por decreto da presidente Cristina Kirchner.
Portal UAI




recordando


QUADRINHAS REDONDAS

Na casa em que falta o pão,

Minha avó sempre dizia,

Todos brigam sem razão,

A culpa é da Economia.

***

Já no caso brasileiro,

Há uma briga inventada

Pelos donos do dinheiro

E pela mídia aumentada.


***

Dona Dilma, a da Energia

Na Casa Civil agora,

Criticou a ortodoxia

Copiada lá de fora.

***

O Palocci é criticado

Por manter sua postura,

Cumpre o que foi combinado,

Não faz jogo de cintura.

***

Essa briga arrastada

É uma cena teatral

Muitas vezes reprisada

Em campanha eleitoral.

***

Enquanto por traz dos panos

Alianças são formadas

O povo sofre com os danos

Dessas tais crises forjadas

***

Ainda escasseia o pão

Mas o jogo continua ...

Pra encontrar solução

Somente o Povo na rua!

© d’aguinaga


18/11/05


janeiro 04, 2010

palavras do Presidente


"Por mais que a gente faça pelos índios e negros neste país, a dívida é impagável. Não pode ser paga em dinheiro. Tem que ser paga em gestos, atitudes, comportamentos. Em uma aproximação entre várias gerações para que a gente vá criando um mundo sem mágoas, ressentimentos"


o "preconceito e a hipocrisia são doenças que precisam ser curadas". "Ninguém pergunta a um negro, um pobre, um cego, um homossexual, na hora da eleição, o que ele é. A pessoa quer o voto dele. A Receita Federal não quer saber se a pessoa é negra, homossexual ou se é pobre. Quer é receber o imposto devido"


"Nenhum cachorro fez qualquer sujeira que muitos outros já fizeram dentro do Palácio do Planalto" (ocasião em foi autorizada a entrada de cães-guia no Palácio do Planalto, em solenidade com deficientes visuais)


janeiro 02, 2010

sonho de uma noite de verão

Minha candidata à Presidência em 2010 é Dona Mariza Letícia – A Galega.



Se os argentinos elegeram a primeira-dama Cristina Kirchner nós também poderemos eleger nossa primeira dama como Presidente do Brasil.

D. Mariza, é carismática, tem o dom de ‘segurar as ondas’ (ou marolinhas) de seu marido e de enquadrar os importunos 'puxa-sacos'.

Depois que o presidente Lula escolheu a ministra Dilma como candidata à presidência, D. Mariza sumiu de circulação e sinto muita falta de sua presença na mídia.

Dona Dilma que me perdoe, mas eu acho D. Mariza muito mais Presidenciável!


janeiro 01, 2010

Mega Sena da Virada

A arrecadação total chegou a R$ 435 milhões. Deste montante, 46% vai para o prêmio bruto. Outros 3% vão para o Fundo Nacional de Cultura; 1,7% para o Comitê Olímpico Brasileiro; 0,3% para o Comitê Paraolímpico Brasileiro; 18,1% para a seguridade social; 7,76% para o Fies; 3,14% para o Fundo Penitenciário Nacional e 20% para despesas de custeio e manutenção dos serviços.