fevereiro 26, 2011

khada uma II


Kadhafi prometeu dinheiro para comprar consciências e cooptar aliados para a sua loucura
a mídia e o público em geral foram surpreendidos com a notícia?
claro que não
isto é uma prática corriqueira para políticos aki e em várias partes do mundo
é a prática do "toma lá da cá"


fevereiro 13, 2011

O Teste do Mínimo

Diz o Jornal:

"A presidente Dilma Rousseff tem tratado como questão de honra a aprovação na Câmara dos Deputados, sem sustos, do piso de R$ 545. A demonstração de força contra insurgentes inclui pressões sobre as nomeações do segundo escalão, liberação de emendas e até ameaças de expulsões partidárias." (Portal UAI)


fevereiro 10, 2011

na sombra mas não morto!



Surpreendido com o tamanho do ajuste fiscal do governo Dilma Rousseff, na casa dos R$ 50 bilhões, o PT promove um ato político para comemorar seus 31 anos disposto a fazer  “contraponto” à agenda negativa. 

Mesmo com as críticas internas ao corte, quer defender o “legado” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - a ser homenageado -, insistir na  reforma política - empacada - e culpar a mídia por tentar “criar” divergências entre o ex-presidente e Dilma.

Embora a resolução a ser aprovada nesta quinta pelo Diretório Nacional do PT não ataque a tesourada no Orçamento nem passe perto da polêmica do salário mínimo de R$ 545, dirigentes da corrente Construindo um Novo Brasil (CNB) - reunidos na quarta-feira, em Brasília - não pouparam críticas à equipe econômica. 

A portas fechadas, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu foi um dos mais enfáticos nas estocadas contra o ajuste fiscal. Disse que o governo deveria cortar apenas gastos em custeio. Não foi só: insistiu em que o PT não pode ficar refém da agenda traçada "pela oposição e pela mídia". 
(Portal UAI)


SOSSUS



Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) avaliou a percepção do brasileiro sobre os serviços do SUS.

Entidades médicas avaliam que problema no SUS é de gerenciamento.

O Conselho Federal de Medicina (CFM) comentou, em nota, os dados da pesquisa: ... “as principais queixas decorrem do crônico subfinanciamento que assola a saúde pública do país e da necessidade de modernização dos instrumentos de gestão. É fundamental a adoção de políticas efetivas de valorização dos profissionais da saúde e de investimentos em infraestrutura na rede de atendimento, entre outros pontos”.



fevereiro 07, 2011

a sonhada soberania

estará mais perto?

Bascos lançam partido na Espanha e se afastam do ETA


Os separatistas bascos lançaram nesta segunda-feira um novo partido político, que segundo eles rejeita a violência do grupo separatista Pátria Basca e Liberdade (ETA). A ação é um passo sem precedentes na Espanha, com a meta de fazer a região basca caminhar para a paz.

O partido foi apresentado por mais de dez ativistas, incluindo ex-membros de grupos banidos e até um ex-militante do ETA. Nos últimos anos, tribunais espanhóis baniram vários partidos bascos porque eles não condenavam a violência do grupo separatista.

De acordo com uma lei da Espanha, todos os partidos devem rejeitar a violência. A lei de 2003 deixou simpatizantes do ETA no País Basco sem qualquer representação parlamentar. Eles esperam agora que, ao rejeitar a violência, os membros do partido possam concorrer nas eleições municipais de maio. Cabe ao Ministério do Interior decidir se o partido poderá disputar cargos nas urnas.
Portal UAI

*0*0*

"Escrevem-se imensas páginas sobre o País Basco mas normalmente o assunto é colocado em termos de discussão moral ou de opinião e muito escassamente em termos de informação. O que de facto se passa, é que o País Basco vive uma guerra na qual se debatem dois nacionalismos diferentes. O basco e o espanhol, aos quais está inerente o efeito da propaganda".

"Esta é ainda mais importante que as balas. Por isso, há que compreender as determinantes de cada uma das partes no conflito, atribuir-lhe uma racionalidade intrínseca". Rui Pereira*

*jornalista do semanário Expresso e autor de "Euskadia: guerra desconhecida dos bascos"

fevereiro 05, 2011

novas formas de luta


Carlos Castilho em 31/1/2011 

A crise egípcia abre o debate sobre o “botão vermelho” na internet

Os governos podem usar a força para impedir que as pessoas usem a internet e a telefonia móvel para divulgar mensagens políticas ou convocar manifestações por meio de mensagens instantâneas. As autoridades podem cortar as linhas mestras (backbones) impedindo o contato internacional e regional, mas a comunicação local, por meio de intranets, continua possível.

A internet e a telefonia móvel se tornaram ferramentas políticas altamente eficientes e estão viabilizando um novo fenômeno político: o das explosões de descontentamento popular, como acaba de acontecer também na Tunísia, onde um regime do presidente Zine El Abidine Ben Ali foi derrubado em dezembro passado após uma onda de protestos populares contra a falta de democracia no país.

A facilidade de comunicação interpessoal, por meio de dispositivos eletrônicos leva as pessoas a compartilhar cada vez mais as suas frustrações políticas, criando condições para o surgimento de explosões de descontentamento que fogem inteiramente aos padrões políticos convencionais, o que tem deixado as autoridades desnorteadas.

CUMPRE-SE A PROFESSIA

Nelson Hoineff:
Novas Mídias - Comunicação de todo mundo para todo mundo

Se a nova organização mundial da comunicação de massa pudesse ser definida em dois únicos conceitos, eles seriam o da portabilidade e o da construção do conteúdo pelo usuário.
...

é impossível neste momento imaginar no futuro qualquer fonte primária de informação do consumidor que não seja o telefone celular – que vem a ser o instrumento portátil mais popular do mundo.

(copiei do Observatório da Imprensa para o Caixa Preta em 14/09/2006)


fevereiro 03, 2011

Egito


Por que temer o espírito revolucionário árabe?
A reação ocidental aos levantamentos no Egito e na Tunísia frequentemente demonstra hipocrisia e cinismo.

"A hipocrisia dos liberais ocidentais é de tirar o fôlego: eles publicamente defendem a democracia e agora, quando o povo se rebela contra os tiranos em nome de liberdade e justiça seculares, não em nome da religião, eles estão todos profundamente preocupados. Por que aflição, por que não alegria pelo fato de que se está a dar uma chance à liberdade? Hoje, mais do que nunca, o antigo lema de Mao Ze Dong é pertinente: "Existe um grande caos abaixo do céu - a situação é excelente".
Para onde, então, Mubarak deve ir? Aqui, a resposta também é clara: para Haia. Se existe um líder que merece sentar-se lá, é ele." 


Salve Rainha!

Date a Cesare quel ch'è di Cesare.


LIBERDADE

"Assim, pois, em respeito à Constituição brasileira, que define o Brasil como Estado Democrático de Direito,! Cesare Battisti deve ser solto imediatamente, sem qualquer concessão aos que tentam recorrer a artifícios jurídicos formais para a imposição de sua vocação arbitrária. O direito e a justiça devem prevalecer."

Dalmo de Abreu Dallari*
in






*jurista e professor emérito da USP