agosto 31, 2014

MENSAGEM


Tenho o costume de ler
Muitos textos inspirados
Gosto também de escrever
Sobre temas variados.

Depois de textos deixar
No Recanto arquivados
Vou à Capa procurar
Outros textos publicados.

Creio que todo autor
Espera uma opinião
De um atento leitor
Sobre sua produção.

Não leio todos, confesso,
Sejam tristes ou hilários
Muitas desculpas eu peço
Por não fazer comentários.

Se a todos eu fizesse
Comentários todo o dia
Mesmo que eu quisesse
Outra coisa não faria.

**//**

um pouco de música antiga

POETAS


Somos todos poetas
E não sabemos.
Somos todos artistas
E assim vivemos.

A poesia está na forma do nosso pão de cada dia.
Na decoração de um bolo há um quê de poesia.

Na arquitetura da casa,
Na torre da igreja,
No muro da escola,
Lá está a poesia.

Num tubo de ensaio
Numa câmara fria
No desenho de um jato,
Lá está a poesia.

Somos todos artistas
E assim vivemos.
Somos todos poetas

E não sabemos

ARTEIRA

Com meu estúdio arrombado
Abandonei a Pintura
Meu tempo está dedicado
A tecer Literatura.

Desde criança escrevo
Não falta imaginação
Mas agora é que me atrevo
A fazer publicação.

Em minha chance primeira
De algum trabalho exibir
‘Poesia passageira’
Foi a primeira a surgir.

Perdido está o manuscrito
Do PC foi apagado
Mas o tenho aqui escrito
De memória, resgatado:

Poeta eu sei que não sou
Sim uma simples arteira
Brincar em versos estou
Pois a arte é brincadeira.

Abstrata é minha arte
Não faço figuração
Deixando as tintas à parte
Desenho versos no chão.

**//**

DOCE VAIDADE

Venho á Escrivaninha
Todo dia, de manhã
Colocar uma coisinha
Que escrevi com tanto afã.

Capricho na ortografia
Beijando cada palavra.
Seja prosa ou poesia
Da forma não sou escrava.

Depois de enviar o texto
Aguardo muito ansiosa
Ver a obra no contexto
Da Capa muito charmosa.

E quando um leitor atento
Um comentário escreve
É grande o contentamento
Por esta glória tão breve!

agosto 29, 2014

arrumando a caixa

após muitos dias sem atualizar a caixa, decidi dar uma repaginada
espero que gostem