abril 08, 2016

LARGUEM O OSSO (Cordel)





No Congresso um alvoroço.
Briga velho, briga moço.
Todos brigam pelo osso,
Um ossinho de pescoço.

No Alvorada a presidente
Prometendo dar presente
Para aquele descontente
Do Partido dissidente.



No Jaburu, o seu Vice traiçoeiro,
Em surdina e bem ligeiro
Do barco pulou primeiro
Levando o Partido inteiro.

No Hotel, Lula segue articulando.
O seu cargo aguardando.
E Gilmar procrastinando,
Assim a posse adiando.

Na Câmara, Dudu Cunha manobrista,
Ser ter punição em vista,
Comemora a conquista
De Maioria na lista.

Calheiros lá no Senado
Vai esperando sentado
O desfecho anunciado
Do ‘Impedimento’ acertado.

E no Brasil o alvoroço
Da briga pelo tal osso
Deixa o País nesse fosso

Mergulhado até o pescoço.

Nenhum comentário: