maio 29, 2016

mea culpa - Cordel

Dona Dilma afastada
Da função de presidente
Em surdina cobiçada
Pelo vice-sorridente
No congresso um alvoroço
Quem se dizia bom moço
Atolado até o pescoço
Pois um sujeito medroso
De ser fisgado por Moro
Sem privilégio de foro
Grampeou os aliados que antes faziam coro
Acusando a presidente pela falta de decoro
Causando sua saída e a posse do Temeroso.

O Temeroso interino reuniu sua bancada
E montou seu ministério com a gente indicada.
Mas durou pouco a festança
Quando no meio da dança
Vazou conversa gravada
Criando constrangimento e ao mesmo tempo piada.

De olho no deus mercado o ministro indicado
Pra Fazenda encarregado, refez o que foi orçado
Pelo Governo passado
Aumenta o gasto do Estado
Dobrando a meta fiscal
E já nos deu o sinal
Da medida preparada
Para o Congresso enviada
E com certeza aprovada.

O País está perplexo
É um Governo complexo
Do povo está desconexo
Mas pro Mercado faz nexo:
Mais ganho para os rentistas
Ignorando as conquistas
Das medidas progressistas

Não desesperem, porém,
Como tudo é passageiro
Esta crise há de passar
Haverá outra eleição
E poderemos julgar
Se foi a nossa omissão,
Ou nosso voto insensato
Que deu à corrupção
O poder de mandar de fato.